Assembleias elegem delegados para Congresso

O Congresso do Sindipetro-RJ vai definir a pauta e as estratégias de luta do ACT 2017. Além de construir um plano de ação para a construção das Comissões de Base e fortalecer a organização petroleira. Será preciso muita disposição para enfrentar os retrocessos que a Petrobrás vai tentar impor.

Boletim-Sindipetro-9

Confira na versão em PDF a íntegra do Boletim-Sindipetro-9

Retrocessos aprovados exigem ainda mais organização dos trabalhadores

A negociação do ACT 2017 num cenário de corte de direitos conquistados há décadas tende a ser ainda mais difícil. A reforma trabalhista enfraquece o poder dos sindicatos e da Justiça do Trabalho e legaliza práticas proibidas pela Constituição. Além de permitir normas desumanas como o trabalho de grávidas em locais insalubres e aumento de jornada para 12h. Estão liberadas as gratificações contratuais ou espontâneas sem natureza salarial, ratificando a remuneração variável .

Boletim-Sindipetro-94

Confira na versão em PDF a íntegra do Boletim-Sindipetro-9

Bases do Sindipetro-RJ I Angra dos Reis

Confira entrevistas com Nilson Miranda e Tiago Amaro, diretores do Sindipetro-RJ, respectivamente integrantes das bases o TEBIG e Brasfels, e do Núcleo 4.

Conversamos com eles durante a realização do ‘Almoço Debate’ realizado no último dia 13 de julho na subsede do Sindipetro-RJ em Angra dos Reis. Em pauta, a proposta do encontro, demandas para o ACT 2017 e o fechamento do Posto do Compartilhado na região, confira!

 

ACT, desmonte da Petrobrás, contrarreformas… O que o sindicato vai fazer? Nos próximos dias, você decide.

Eleja um(a) colega ou seja você mesmo(a) um(a) representante local no Congresso que definirá o
plano de ação do SINDIPETRO-RJ

quadro assembleias congresso sindipetro rj 2017


>> PAUTA das assembleias

     1) Informes e debate (temas que serão objeto das deliberações no Congresso)
     . demandas, táticas de mobilização e organização sindical para o ACT, efetivo mínimo, desmonte e privatização, leilões, contrarreformas, demandas específicas do segmento ou da unidade;
     . Organização por Local de Trabalho / Comissões de Base;
     . a construção da unidade nacional petroleira;
     . balanço da Greve Geral e próximos encaminhamentos;
     . desfiliação da CUT;
     . situação financeira do sindicato e as medidas políticas e administrativas adotadas neste primeiro mês da nova gestão;

     2) Eleição dos delegados
        (conforme regimento abaixo)


congxxx

>> PROGRAMAÇÃO 

04/08 (sexta à noite)
. Informes sobre situação financeira, comunicação e sindicalização.  
. Campanha “O Petróleo tem que ser nosso”, conjuntura e geopolítica.

05/08 (sábado)
. ACT – pauta e estratégias
. Eleição dos delegados ao Congresso Nacional da FNP.
. Desfiliação da da CUT.
. P
lano de ação para a construção das Comissões de Base
. Balanço dos primeiros 60 dias e perspectivas para a nova gestão

 

REGIMENTO
. Somente filiados ao Sindipetro-RJ participam da eleição de delegados, sendo válido o preenchimento da ficha de sindicalização na própria assembleia.
. Todo associado tem direito a votar e candidatar-se em qualquer sessão de assembleia, independente de sua lotação, mas em apenas uma.
. Será eleito 1 delegado(a) para cada 3 associados presentes.
. A posição da diretoria do sindicato é que seus integrantes devem abrir mão do direito estatutário de serem delegados natos.

Quer se filiar, se candidatar a delegado(a)
ou tirar alguma dúvida?

Entre em contato pelo formulário abaixo

 

Congresso organiza ACT e luta contra desmonte da Petrobrás

O Sindipetro-RJ já começou a construção da pauta do acordo coletivo 2017. As assembleias que começam na próxima segunda-feira (17) escolhem delegados ao Congresso do Sindipetro-RJ que irá aprovar a pauta da categoria na base do RJ. É a hora de sugerir demandas e lembrar de problemas específicos da sua unidade. Lembramos que você pode participar também através do Canal ACT, aba da nossa página na internet (www.sindipetro.org.br). Hoje (11), data prevista para a votação da reforma trabalhista no Senado, petroleiros realizam manifestações em várias unidades. E denunciam o desmonte da Petrobras.

Boletim-Sindipetro-8

Confira na versão em PDF a íntegra do Boletim-Sindipetro-8

Assembleias elegem delegados para Congresso do Sindipetro-RJ

A eleição dos delegados do Congresso será na proporção de um delegado(a) para cada três associados presentes na sessão da assembleia. Qualquer associado tem direito a falar, votar e candidatar-se em qualquer sessão de assembleia, não podendo votar ou candidatar-se em mais de uma sessão. A diretoria do Sindipetro-RJ vai abrir mão do direito estatutário de ser delegado nato ao congresso da entidade. Todos os delegados serão eleitos.

Boletim-Sindipetro-82

Confira na versão em PDF a íntegra do Boletim-Sindipetro-8

Sindipetro-RJ e FNP questionam redução do efetivo e mudança do Benefício Farmácia

O Sindipetro-RJ participou das mesas de acompanhamento do ACT dias 5 e 6 de julho. No debate sobre as questões de SMS o ponto positivo da reunião foi o reconhecimento da equipe de SMS sobre a necessidade de realizar encontros frequentes com os sindicatos.  Mas várias questões ficaram sem respostas satisfatórias, entre elas: falhas recorrentes na área operacional; treinamento da equipe de brigadista em horário inadequado; resgate médico aéreo; terceirização; NR13; horas extras; entre outras.

Boletim-Sindipetro-83

Confira na versão em PDF a íntegra do Boletim-Sindipetro-8

FNP e Sindipetro-RJ exigem respeito aos petroleiros e à vida

Direção da Petrobrás não abre mão da Reducão de efetivos para privatizar a Petrobrás

Nesta quarta-feira (5), pelo segundo dia de atividades das reuniões de Comissões de Acompanhamento do ACT, na parte da manhã, a pauta do encontro entre a Federação Nacional dos Petroleiros  (FNP) e a Petrobrás foi sobre efetivos de trabalho.

Os representantes da FNP fizeram questionamentos sobre o plano adotado pela Petrobrás  que já reduz, na área industrial (refinarias e Fafens) os contigentes de efetivos de turno.

Segundo a Federação, a situação acarreta em aumento da precarização e  de assédio moral, além de ser uma estratégia para  implementação, num  futuro próximo,da terceirização  nas operações das refinarias.

Os dirigentes também questionaram problemas que envolvem particularidades de cada uma das unidades dos respectivos sindicatos filiados à FNP. Dois pontos destacados foram, novamente, as punições em função da participação em greves e a realização do curso de NR no período da madrugada, que vem acontecendo especificamente na Revap.

“Prática  que reduz o efetivo e coloca em risco a execução das tarefas”, alerta Rafael Prado, diretor da FNP e do Sindipetro-JSC.

Em seguida, a Petrobrás apresentou a nova reorganização de método de trabalho na área industrial, uma apresentação nada convincente que prioriza somente resultados técnicos e desconsidera fatores humanos, desrespeitando ,por exemplo, a ‘NR 17’, que trata da adaptação das condições de trabalho, as características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Além disso, a metodologia não releva a participação dos sindicatos e das CIPAS na elaboração da metodologia. Embora os representantes insistissem em afirmar que o projeto de redução tem sido construído com trabalhadores.

De acordo com Lourival Júnior, dirigente da FNP e do Sindipetro-PA/AM/MA/AP, o estudo apresentado é “furado, completamente fora da realidade, que visa apenas reduzir quadro para privatizar a Petrobrás” – afirmou.

Outra crítica ao método apresentado pela empresa  para justificar a redução dos efetivos foi sobre a falta de informações sobre a real situação  dos equipamentos e da sua manutenção.

Para finalizar, em princípio, fica entendido que a metodologia é uma proposta apenas para a área de refino. No entanto, a FNP acredita que é uma questão de tempo para que o método seja aplicado em todo o Sistema Petrobrás.

 

 

Petrobras explica proposta do novo Benefício Farmácia

Empresa quer novo modelo no qual doenças agudas não serão mais cobertas, se tornando opcional e sem cobertura para medicamentos com valor abaixo de R$ 300,00 ,funcionando apenas por delivery (entrega em domicílio).

 

Na segunda parte do primeiro dia de reuniões das Comissões de Acompanhamento de ACT e Regime de Trabalho o destaque foi a apresentação  do novo modelo de proposta para o Benefício Farmácia.

O ponto principal apresentado foi o fim da aplicação do conceito do mutualismo (contribuição de todos para beneficiar um dos contribuintes), migrando para o modelo de contribuição opcional (o indivíduo  banca o seu custo) para obtenção  de remédios para doenças crônicas.

A proposta de Pedro Parente acaba com o atual sistema de reembolso e cria a coparticipação dos beneficiários no custeio de medicamentos por meio de ‘delivery’ – entrega em domicílio.

Na nova proposta, as doenças agudas não serão mais cobertas. Apenas as doenças crônicas serão cobertas integralmente.

Por exemplo: se o beneficiário apresentar um quadro gripal terá que comprar integralmente seus remédios. Mas, se o custo unitário do medicamento para tratamento da doença aguda ultrapassar R$ 300,00, a empresa irá cobrir numa faixa de valor percentual que irá variar de 15% a 70% de custo para a coparticipação da empresa no gasto. Agora se o custo for menor que os R$300,00 , o beneficiário será responsável integralmente pelo custo.

Modelo proposto está sendo baseado em assistência de saúde oferecida no Canadá, segundo representantes da área de AMS da Petrobrás.
 No entanto, dirigentes da FNP vêem com preocupação a proposta. “Teremos um programa menor e mais caro”, avaliou Rafael Prado, diretor da FNP e do Sindipetro-SJC.
Mas representantes de AMS destacaram que a proposta deve ser construída em parceria com os trabalhadores. Portanto, um GT deve ser criado para trabalhar com a equipe de AMS no melhoramento do benefício.