Boletim do Sindipetro-RJ , confira os destaques da edição XIII!

Capa 13

  • UNIDADE DE AÇÃO E GREVE GERAL PARA REPOR PERDAS E IMPEDIR RETROCESSOS NO ACT 2017 –  Fora Temer, Parente e todos os corruptos do Congresso.

 

  • PAUTA COMPLETA (histórica atualizada) com EIXOS DE MOBILIZAÇÃO reflete as diferentes demandas e unifica a categoria. Congresso da FNP consolidará campanha.

 

  • O PETRÓLEO TEM QUE SER NOSSO – abaixo o desmonte e os leilões!

 

  • REFORMA TRABALHISTA – Jurídico introduziu o debate. Reuniões semanais aprofundarão estudo.

 

  • DESFILIAÇÃO DA CUT é aprovada junto com discussão na base e futura deliberação sobre se e qual Central o sindicato se filiará. Sindipetro RJ participa dos projetos alternativos em construção.

 

  • FUTEBOL e MONTANHISMO – “Meu caminho é de pedra” e “I Copa Society” indicam o espírito de integração da nova gestão sindical.

 

  • Erico Sachs / Ernesto Martins – ‘Um militante revolucionário entre a Europa e o Brasil’ – nesta quinta, lançamento do livro no auditório do sindicato.

 

  • Qualidade do ar é qualidade de vida – especialista em microbiologia realizou palestra sobre o tema na SIPAT 2017.

 

  • CONGRESSO DA FNP – conheça a lista dos(as) 24 colegas que representarão o RJ no congresso nacional que acontece entre 17 e 20 de agosto.

 

Leia na íntegra o Boletim do Sindipetro-RJ XIII

Trabalhadores questionam índices da Petrobrás

Segundo informações da Secretaria de Saúde do Sindipetro-RJ entre 2015/2016 ocorreram 21 acidentes fatais  nas unidades da Petrobrás, sendo 17 terceirizados e quatro funcionários efetivos da empresa. É importante frisar que a Petrobrás nunca apresenta dados absolutos e fechados sobre o número real de mortes em  suas unidades por acidentes de trabalho.  Os números são sempre apresentados em termos percentuais.

Ainda assim, a Petrobrás afirmou que reduziu seus índices de acidentes de trabalho no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2016, na divulgação de seu Relatório de Sustentabilidade publicado no último dia 4 de junho. Segundo a empresa, em 2016, a Taxa de Acidentados Registráveis (TAR) foi reduzida em 24% em relação ao ano anterior, atingindo 1,63. Já a Taxa de Ocorrências Registráveis (TOR), que abrange todas as classificações de acidentes (incluindo os casos de primeiros socorros), apresentou uma redução de 25% em comparação com 2015, como resultado da implementação de iniciativas para prevenirem lesões e doenças.

Boletim-Sindipetro-7 pag.3

Confira na versão em PDF a íntegra do Boletim-Sindipetro-7