3/10: Dia Nacional de Luta em Defesa das Estatais – Abaixo as Contrarreformas e Privatizações!

WhatsApp Image 2017-09-29 at 15.41.10

Rumo à Greve Geral
Fora Temer, Pezão, Crivella, Parente e Elek! Prisão para todos os corruptos!

Nesta terça-feira, 3/10, é aniversário da Petrobrás.

Motivo de orgulho de todos os brasileiros, nossa empresa enfrenta o maior processo de privatização de sua história. FHC quebrou o monopólio; Lula e Dilma seguiram com leilões e terceirização, inclusive no Campo de Libra, e começaram a venda de ativos; Temer/Parente vêm pra jogar a pá de cal, acelerar as vendas e cortar direitos.

É hora de conquistarmos a segunda e verdadeira Independência! Enquanto seguirem a cartilha imperialista de vender óleo cru a toque de caixa e priorizar a remuneração dos acionistas, em detrimento das necessidades do povo, aumentará a desigualdade social.

Além de protagonizar a resistência à PRIVATIZAÇÃO da Petrobrás e demais estatais e somar forças com outras categorias na luta contra o DESEMPREGO, a superexploração dos TERCEIRIZADOS e para barrar a implantação das contrarreformas TRABALHISTA e PREVIDENCIÁRIA, cabe também aos petroleiros e petroleiras nos organizarmos para impedir o rebaixamento de nosso ACT e a inviabilização da PETROS.

Por estes – e muitos outros – motivos, neste 03/10, some-se à manifestação em defesa de nossas riquezas, direitos e empregos!

 

Audiência pública ‘Atual cenário de sucateamento das empresas estatais’

Audiencia-publica_

Nesta sexta-feira (23),  a  Ordem dos Advogados do Brasil, seção Rio de Janeiro (OAB/RJ), recebeu em seu auditório no Centro do Rio de Janeiro a audiência publica sobre o atual cenário de sucateamento das empresas estatais, evento promovido pela Comissão de Advogados Estatais da entidade. A audiência foi aberta com a apresentação de um áudio com a fala do  atual   presidente da Eletrobrás, Wilson Ferreira Júnior,  em reunião com representantes sindicais federal, em que chamou  de forma desrespeitosa os funcionários  da estatal de eletricidade de “vagabundos” e “safados”.

O  ato denunciou  a atual “política do quanto pior, melhor”, promovida pelas esferas do governo Temer  junto às empresas estatais, sucateando e precarizando seus serviços para justificar a terceirização de suas atividades – já a pleno vapor, através de contratações milionárias sem licitação – e, em seguida, a privatização por preços irrisórios e gestões duvidosas, como acontece com a Petrobrás sob a gestão de Pedro Parente.

Os debates contaram com a presença  dos deputados federais do Rio de Janeiro, Glauber Braga (PSOL/RJ), Jandira Feghali (PCdB/RJ) e Wadih Dammous (PT/RJ); do Professor em Direito Economico da USP,  Gilberto Bergovitch,  representantes  de entidades como o DIEESE e de centrais sindicais, entre outras representações classistas.

A audiência debateu  mecanismos de combate aos processos de destruição do patrimônio publico, com o lançamento de uma campanha de defesa das estatais e das suas funções sociais como motoras de desenvolvimento do Brasil.